Entre tantas coisas que uma gestante precisa se preocupar, o períneo é uma das mais importantes. Mas, infelizmente, muitas vezes, não somos orientadas pelos profissionais a cuidar dele.

O correto seria trabalharmos a musculatura perineal deste nossa primeira ida ao  ginecologista e intensificar seu fortalecimento e melhora da elasticidade durante a gravidez. Não só para a hora do parto normal, mas também para que não fique prejudicado por conta de todo o peso que carregamos  na gestação.

Confira na matéria abaixo – que fiz para o Bebe.com.br   – as diversas formas de preparar seu assoalho pélvico para o parto.

Beijocas,

Anúncios

Esta semana escrevi uma matéria para o www.bebe.com.br sobre livros bacanas para pais de primeira viagem.
É uma lista com 15 livros, muitos dos quais já li, e aqueles que ainda não li, pesquisei profundamente para saber se condiziam com aquilo que acredito serem práticas conscientes de maternagem.

Vale a pena dar uma conferida lá:

 

Um bom livro para quem deseja saber o que se passa em cada momento da sua gravidez

Logo no início da gravidez decidimos comprar um livro que nos ajudasse a entender o que estaria se passando com nosso bebê mês a mês. Depois de algumas indicações, optamos  por comprar “O Que Esperar Quando Você Está Esperando”, da Editora Record.

Gostei bastante deste livro porque a cada mês de gravidez eu lia o que estava se passando dentro da minha barriga e com o meu corpo. Exatamente como alguns sites atualmente fazem, oferecendo o serviço, até mesmo, por e-mail. Mas o livro é mais abrangente e detalhista.

Por ser um livro traduzido do original americano, privilegia o parto normal. Mas é o normal cheio de intervenções médicas, por isso, deve ser lido com análise crítica (como tudo nessa vida) para que a gente retenha apenas aquilo que é bom de verdade.

Cada mulher é única.
Cada bebê, especialmente único.
Cada parto é um parto.
Cada caso, um caso.

Ser tratada como indivíduo único não tem preço. Ter suas escolhas respeitadas é muito digno.
Ter escolhido uma equipe humanizada é simplesmente um sonho. Não existem protocolos.  Não existem receitas prontas.
Existe respeito, dignidade, carinho, compreensão, orientação… prestes a parir posso dizer: Deus continua no controle e é perfeito!

“Pois tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe.  
Eu te louvarei, porque de um modo tão admirável e maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.  
Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e esmeradamente tecido nas profundezas da terra.  
Os teus olhos viram a minha substância ainda informe, e no teu livro foram escritos os dias, sim, todos os dias que foram ordenados para mim, quando ainda não havia nem um deles.  
E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grande é a soma deles!  
Se eu os contasse, seriam mais numerosos do que a areia; quando acordo ainda estou contigo.” Salmos 139:13-18

Noite de contrações terríveis, porém disritmadas. Não preguei os olhos por uma hora seguida…
Barriga dolorida, mais contrações matuninas… Sinto que a Bibi desceu mais hoje… meu corpo está diferente…

Será que é hoje? Vamos aguardar… ver como tudo vai progredir. Está chegando a hora… quanta emoção…
Lembro-me de cada relato de parto natural que li nestes últimos meses. Mexe comigo pensar que estou passando pelos mesmos passos que elas passaram. Desde a mudança de médico até o parto. Sempre chorei ao ler estes relatos, hoje choro ao pensar no meu.

Sinto Deus no controle. Cuidando de cada detalhe. Preparando todas as coisas. É muita benção…
Não sinto medo nenhum. Não me sinto nervosa. Tenho a paz que excede todo o entendimento preenchendo o meu coração (Filipenses 4:7).
Se não fosse pelo nosso Deus nada disso seria possível.

Mais uma vez o texto que foi base em nosso casamento se manifesta em nossas vidas:
“Quando o SENHOR restaurou a sorte de Sião, ficamos como quem sonha.     
Então, a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua, de júbilo; então, entre as nações se dizia: Grandes coisas o SENHOR tem feito por eles.     
Com efeito, grandes coisas fez o SENHOR por nós; por isso, estamos alegres.” Salmos 126:1-3

Obrigada, meu Senhor. A Ti rendemos todo louvor, adoração, gratidão e amor sincero.

Lelê

Anote aí mais essa palavrinha no seu vocabulário: pródromos. Lelê em TP também é cultura! rs

O período prodrômico é o que antecede o trabalho de parto. Nesta fase a gestante sente muitas contrações (algumas delas bem dolorosas), mas com intervalos e intensidades irregulares. Também é conhecido como falso trabalho de parto. Como a cabeça do bebê se encaixa na pelve, sentimos dores lombares e pélvicas (às vezes até andar é meio estranho), além de algumas fisgadinhas…
Nesta fase a grávida costuma perder o tampão mucoso que fica no colo do útero. E este fica mais molinho. Este período pode durar alguns dias antes de começar efetivamente o trabalho de parto.

Se contarmos do dia que perdi o tampão, já estou em pródromos há uma semana. O que é perfeitamente normal.
Essa noite tive contrações ainda mais fortes e durante algumas delas achei que minha bolsa fosse romper, tamanha era a intensidade da dor.
Durante o dia elas continuaram de forma irregular, algumas fracas, outras muuuito fortes. Uma bolsa de água quente carinhosamente preparada pelo maridão tem ajudado a lidar com a dor que fica nas costas.
Mas acreditem, não é isso o que me irrita. Aliás, quando sinto uma contração forte o Rô olha para mim e pergunta: “Tá doendo tanto assim?” – com a maior cara de pena, e eu respondo sorrindo: “Está, mas isso é muuuito bom! Sinal de que estamos progredindo!”. O que me incomoda mesmo é o fato de que a cada dia fico mais inchada. Pés, pernas, mãos… tá tudo uma bolotinha…

Amanhã cedo temos consulta com a Dra Andrea. Vamos ver o que ela nos dirá sobre esse tão esperado TP!
Beijos prodrômicos,
Lelê

Ontem, dia 16/08, completamos 40 semanas de gestação. 16/08 era a minha DPP (data provável do parto). Para a maioria dos médicos tradicionais e cesaristas esta é uma data “cabalística”… rs Eles não permitem que suas pacientes passem desta data e, para aquelas que insistem em esperar mais, exigem uma carta de responsabilidade. Acreditam (ou não)que depois da DPP o útero se torna um lugar inóspito para o bebê, oferecendo risco para a sua saúde.

Mas o fato é que a DPP é um mero chute, já que não há como saber exatamente quando o bebê foi concebido. E, se as condições de saúde dele e da mãe estão perfeitas, não há porque não se esperar até 42 semanas. É exatamente por conta desta pressa dos cesaristas que muitas mulheres acreditam que não foram capazes de dar a luz. “Não tive dilatação”, “Não tive hormônio suficiente para entrar em TP”, “Minha genética não ajudou”. Mentiras que são disseminadas por aí… Esses médicos simplesmente não deixam suas pacientes entrarem em trabalho de parto. E olha que a maior parte das primigestas só entra em TP depois da 40ª semana. O TP acontece quando o bebezinho está realmente pronto para nascer.

Semana passada uma mulher foi terrivelmente violentada por uma médica em um importante hospital de São Paulo. Ela havia chegado na 40ª semana sem sinal de TP. Sua médica cesarista e sem experiências em partos nomais (imagino eu) resolveu induzir o parto. O fato é que ainda não era a hora do bebê nascer. Resultado? A médica não esperou a dilatação total, fez um episiotomia de 12 cm na pobrezinha e arrancou o bebê com um fórceps, apoiando sua perna na maca para fazer uma mega força. O bebê nasceu com desconforto respiratório e foi direto para a UTI. A mãe teve que ficar dopada por conta da tremenda dor que sentiu após a episio monstro e entrou em depressão.

Infelizmente é muito triste o panorama de partos no Brasil. Os médicos aprendem nas Universidades como se faz cesáreas, mas são pouco treinados na assistência ao parto normal. É triste demais pensar que se queremos um parto normal e decente precisamos brigar tanto por isso e, até mesmo, pagar o preço (financeiramente mesmo) por isso. Espero que um dia isso mude em nosso país.

Bom, mas voltando ao fato de que chegamos à 40ª semana, venho pedir paciência. Bibi pode nascer até o final do mês e a nós cabe apenas orar e esperar tranquilamente. Deus está no controle e ela nascerá na hora correta, uma coisa garanto: será no dia do aniversário dela! hehehe… não pude perder a piadinha! rs

Estou tranquila, ok? Mas posso deixar de ficar se todo mundo ficar perguntando: “E aí, ela não vai nascer? Será que está tudo bem?”

Beijos sossegadíssimos,
Lelezinha