“Lê, mamãe!” É assim que Gabriela me aborda durante boa parte do nosso dia. Ela quer pegar cada um dos seus livrinhos para ler. Juntas imitamos os animais, ela me diz qual é o nome deles e já começa a reproduzir as historinhas que eu costumo contar a ela: quando abre a página em que o gigante Golias é abatido por Davi ela diz “tuuuummm” e bate o mão no livro, imitando o barulho do tombo dele.
Então, dia desses, eu e minha irmã estávamos procurando um passeio para nossas pequenas e eu deu uma olhada no site da Livraria da Vila e vi que eles têm um espaço bacana para crianças. Eu havia encontrado o passeio perfeito para minha pequena leitora.
E foi mesmo! Ela adorou aquele lugar cheinho de livros para crianças. Eles têm um espaço ótimo para os pequenos, com pufes e mesinhas para lermos e brincarmos. O passeio foi uma delícia e ainda encontrei mais alguns livros super legais para a biblioteca de dona Gabirú. Orgulho da mamãe jornalista, né?

Beijos,

Gabriela encontrou um mundo inteiro de livros para ela!

Lá as crianças podem manipular os livros e escolher seus preferidos.

Foi uma delícia de passeio!

Minha pequena sempre experimentou de tudo aqui em casa. De tudo o que é bom e saudável, CLARO.
Ela come arroz integral, grão de bico, lentilha, peixes, carnes, berinjela, abobrinha, ovo, frutas (todas), beterraba, verduras… Nunca foi de comer muito, até porque ainda tem o seu tetê de plantão, mas sempre comeu de tudo.
Semana passada ela foi conosco em um restaurante japonês ela segunda vez. Comeu tempurá, arroz do temaki, salmão assado. E tudo no palitinho… uma moça muito requintada… rs
O pediatra dela não tem frescuras com comidinhas do bem, e já liberou peixe cru há muito tempo. Então, da próxima vez, vou iniciá-la nas comidinhas mais tradicionais do restaurante.

Beijos,

Toda serelepe com os palitinhos

Hum.... bom....

Corto a franja da Bi desde que ela tinha 9 meses. A franja cresce muito rápido e, de tempos em tempos, tenho que apará-la. Ela costuma ficar bem quietinha e no fim, acaba dando tudo certo.
Mas o resto do cabelo da Bi, que ainda não tinha conhecido tesoura, estava com o comprimento bagunçado, alguns pedaços maiores do que outro. Decidi então levá-la à minha cabeleireira para acertá-lo.
Gabi se comportou como princesa que é. Queitinha, tranquila, linda demais. O visual não mudou muito, mas agora ela está com o corte mais certinho. E olha só as fotos, Gabi é vaidosa como a mãe… vai adorar um salão… rs

Toda comportada durante o corte...

e um charme só depois de secar as madeixas

Minha mais nova companheira de salão... rs

Eu sempre comi as pelotinhas do arroz que minha avó fazia.
Dia desses eu deu uma para a Gabi e disse que era uma pelotinha.
Agora sempre que vê a panela de arroz ela pede: “Pilú”

Gabi sempre falou muito bem. Agora ela dispara novas palavrinhas como: “peixe”, “tudo”, “doido”, “titia”, “dirigi”, “nada”, “azul”, “bom dia”
Minha tagarela preferida!!!!

Quando Bibi era apenas uma recém-nascida eu comecei a fazer massagens nela. No começo ela chorou um pouco, mas logo se acostumou e começou a curtir e relaxar o momento. Era uma delícia massagear minha bebezinha.
Com o tempo, Bibi se tornou uma mocinha  serelepe e, sem parar mais, as massagens se tornaram mais raras. Mas nunca deixei de fazer um carinho caprichado, claro.

Dias desses minha irmã veio aqui em casa e começou a fazer massagem nos pés da Nayara. Bibi ficou olhando e ganhou massagem também. Logo depois, as duas pequeninas fizeram massagens em nós. Foi muito divertido e gostoso!

Agora minha princesa tira a meia e pede: “Pé, mamãe.” E fica relaxando enquando eu faço massagem nos pezinhos mais lindos deste mundo.

Pensei: Para alguns isso seria pura folga da minha menina, mas para mim é amor. Sempre fiz massagens nos pés do Rô… e me lembrei de uma cena da minha infância. Minha vó Irma fazia massagens nos meus pés. Ela pegava a famosa “loção-cor-rosa” (feita com cânfora), e acariciava meus pés. Lembro-me de ficar pedindo mais e mais. Melhor do que sentir aquele toque relaxante, era sentir que minha vovó fazia aquilo com todo o amor do mundo. Saudades, vó…

Gabriela chamou minha atenção e apontou para o detalhe no seu pequeno tênis lilás em seu pé:

“- Mamãe, a !”

Assim ela disse que alí havia uma flor. Amo essa princesa!

Gabi – 1 ano e 4 meses

Hoje é seu primeiro aniversário. Faz um ano que papai e eu ganhamos o presente mais precioso que Deus poderia nos dar.
Lembro-me perfeitamente do dia em que você nasceu. Chegamos na maternidade ainda pela manhã, eu, papai e a nossa doula.
As fortes contrações já mostravam o que haveria pela frente, mas eu só conseguia pensar em te conhecer, olhar nos seus olhos, contemplar seu rostinho. Como havíamos esperado por este dia. Em nossos corações a maior felicidade de todas, a alegria de sermos pais.
Na mala, além dos itens básicos, também levamos bíblia, óleo para unção e um CD com músicas para a sua chegada.
Logo a nossa obstetra chegou, e após ela a tia Dri, que participou de tudo.
Eu havia me preparado para aquele momento. Queria que você chegasse em um ambiente de paz e muito amor. Sem agressões sem intervenções.
Por isso, já estava tudo combinado. Quando as dores chegaram ao auge e eu já não conseguia mais pensar, papai orou, ungiu e oramos em línguas. Cantamos louvores. Gritei sim. Pedi ao nosso Deus. E Ele nos ajudou.
Indescritível foi a sensação de tocar-me e poder sentir a sua cabeça, seus poucos cabelinhos. Ainda me arrepio ao lembrar deste momento. Tirei forças de dentro do meu coração e juntas, eu e você, fizemos você nascer.
Quanta emoção ao tê-la em meus braços. Seu pai ao nosso lado declara o nosso amor por ti.
Nada mais importava, não havia mais dores. Você estava ali. Era o nosso mundo.
Seu olhar cruzou o meu antes de mamar pela primeira vez. Quanto amor, meu Deus…
Sempre sonhei em ser mãe, e acho que sempre sonhei com você. Minha Gabriela.
Nesses 12 meses passamos por muitas coisas juntos. Nós três. Não sei se os pais mudam depois dos filhos. Acho que, na verdade, redescobrimos e resgatamos algo que sempre esteve ali. Um eu que muitas vezes deixamos para trás na correria de nossas vidas, nos traumas do caminho.
Não é fácil o tempo todo. Muitas vezes precisamos respirar fundo e pedir paciência e sabedoria para o Espírito Santo. Mas é uma delícia, uma alegria sem fim.
Hoje praticamente não tenho tempo para mim. Se antes tomava banhos demorados, passava cremes e curtia um soninho relaxante. Hoje sou vitoriosa ao conseguir tomar um banho tranquilo. Mas posso dizer que sou ainda mais feliz hoje do que já fui em qualquer outro dia da minha vida.
Você e o seu pai fazem de mim a mulher mais feliz do mundo, me completam. Amá-los é viver aquilo que o Senhor tem de melhor para mim, de mais puro, de mais verdadeiro.
Obrigada por ser minha filha, Gabriela. Quero te fazer feliz, sempre.
Feliz aniversário! Que Deus te abençoe e te dê graça. Que o Senhor a faça crescer em estatura e sabedoria. Que o Senhor a unja com uma unção especial. Que você possa transbordar o amor do nosso Deus onde quer que for. Que o seu sorriso leve esse amor para todos. Que você seja a mulher mais feliz desse mundo. Que o nosso Deus a guarde e a livre de todo o mal. Que cada um dos seus sonhos se realize. Que você seja uma mulher guerreira, ousada e muito sábia. Que seu espírito seja sensível ao Espírito Santo. Seja bendita ao entrar e bendita ao sair. Que o Senhor prospere cada uma das obras das suas mãos e você ache graça onde quer que for. Que você possua a terra onde seus pés pisarem. Em nome de Jesus, amém!

Com todo amor do mundo
mamãe