Gabriela e Giovana explorando o avião

Quando as pessoas ficavam sabendo que Bibi iria conosco para Israel, muitas pessoas reagiam surpresas e perguntavam: mas como será que ela irá se comportar no avião? E lá, terá que andar muito, como conseguirão? E se ela não gostar da comida? E se…???

Mas, como já contei, não nos preocupamos e foi tudo uma benção. Então darei algumas dicas para quem também quer se aventurar em viagens longas de avião com bebês.

>> Muitos disseram que era  proibido, mas consegui embarcar levando na bagagem de mão banana, maçã, bolachinhas e o copinho da Gabi com água.
>> Também despachei um pacote de bolachas na mala, do tipo de “amido de milho”, para garantir.
>> Leve na bagagem de mão umas duas trocas de roupa (fraldas vazam, comidas caem). Casaquinho e meia porque vôos internacionais costumam ser frios. Fraldas a mais, para garantir. Acho que levei umas 10 a bordo… rs E elas salvaram uma amiga que também estava com bebê. Não deixe todas no compartimento de bagagens de mão. Deixe uma a mão, porque às vezes é muito complicado abrir e pegar a malinha em um momento de emergência.
>> Um cobertor fininho ajuda durante as frias madrugadas.
>> Fralda de pano para cobrir o bebê enquanto mama.
>> Fraldinha de boca.
>> Brinquedinhos pequenos para distração a bordo.
>> Nós solicitamos comida especial para bebês e qual não foi nossa surpresa ao nos depararmos com três potinhos Nestlé  em uma bandejinha.  Então, se seu bebê não come essa “comidinha” como a minha Gabi, não espere nada melhor para ele no avião.

Para os passeios tínhamos um carregador que compramos na Sampa Sling. Ele foi tudo de bom! Servia para carregar Bibi no colo sem cansar nossas costas, para ela dormir e mamar durante nossas longas caminhadas.
Também levávamos uma mochilinha com troca de fraldas, de roupa, água e frutas, e a fraldinha “tapa tetê”, claro. Dica: separe no café da manhã dos hotéis alimentos que seu bebê gosta de comer (frutas, iogurte, queijo, pão), eles irão ajudar nos lanchinhos entre as principais refeições.
Chapéuzinho, protetor solar e um pequeno guarda-chuva ajudam (e muito) nas horas de sol forte.

Não se esqueça de levar os remedinhos básicos da crianças. Ninguém quer usá-los. Mas precisar deles no outro lado do mundo e não ter é ruim demais. 

Não espere por berços bacanas nos hotéis. Alguns dos que nos arrumaram eram feitos de um cano de PVC  com um colchão mega duro. Gabi acabava dormindo conosco nas camas que eram king size.

Guarda-chuva: item essencial para proteção contra o forte sol. Papai e Bibi nas ruínas de Massada.

Anúncios