Alimentação


geleia de frutas vermelhas

Fácil receita de geleia de frutas vermelhas

Garantir uma alimentação saudável para nossos filhos é essencial. Por isso, aqui no blog, vez ou outra, você encontrará receitinhas bacanas para as crianças. São opções saudáveis e fáceis que testo por aqui e compartilho com vocês.

Apesar de gostar muito, não é sempre que consigo tempo para me aventurar pela cozinha. Dia desses vi na  geladeira uma bandeja de amoras e outra de morangos, todos maduros e prontinhos para virarem uma deliciosa geleia. Para adoçar usei apenas um pouco de rapadura ralada, bem mais saudável do que o açúcar. Aí até da para oferecer no lanche de crianças acima de 12 meses.
Se você não tiver a rapadura e quiser outra opção menos trash que o açúcar refinado, pode usar o mascavo ou, até mesmo, o demerara.
Essa receita foi inspirada pelo site Crianças na Cozinha, que recomendo muuuuito!

Ingredientes

1 xícara de amoras
1 xícara de morangos (de preferência orgânicos. Morangos costumam ser campeões no quesito agrotóxico).
suco de meio limão
1/2 xícara de rapadura ralada

Modo de fazer
Coloque em uma panela no fogo baixo os morangos picados e 1/2 porção das amoras picadas. Acrescente a rapadura ralada e o suco do 1/2 limão. Bata a outra porção de amoras no liquidificador com um dedinho de água e acrescente a mistura na panela.
Mexa de vez em quando. As frutas vão se desfazer e o caldo começará a ser formado. Um incrível perfume de geleia de frutas vermelhas irá invadir sua casa. Você notará quando a mistura se transformar em geleia, ficará viscosa e com uma cor linda. Deixe esfriar e coloque em um frasco de vidro na geladeira.
Deliciosa para ser servida com torrada, pãozinho, pão de queijo e queijo branco.

Espero que gostem 😉

Anúncios
Cena do reality show com mães e bebê do programa Mais Você: mães reclusas e infantilizadas

Cena do reality show com mães e bebês do programa Mais Você: mães reclusas e infantilizadas

O programa Mais Você da apresentadora Ana Maria Braga está com um quadro bizarro com H maiúsculo (piadinha esta do H por conta de um fora dado pela Ana Maria durante um de seus programas).

Nele, mães e crianças entre 1 e 2 anos participam de um reality show confinadas entre uma casa e um quarto de hotel. Sim, a exemplo de outros realities, elas competem entre si para ver quem permanecerá na casa para ganhar o prêmio em dinheiro e participar da campanha publicitária da marca de pomadas patrocinadora do show.

Triste demais ver crianças retiradas de suas casas, longe dos pais, sentindo todo o estresse que suas mãos estão passando por conta da competição. Nada saudável. Nada respeitoso. Exposição muito desagradável, aliás.

Mas o que levou os olhares direto para o quadro foi a participação constrangedora do educador Marcelo Bueno. De forma absurda e desrespeitosa ele disse às mães que estão na casa (e a todas as telespectadoras) que ainda amamentam seus filhos que devem realizar o desmame abrupto assim que seus filhos começam a andar. Com aquela velha história mentirosa de que a criança fica mais dependente da mãe e de que o leite não serve mais como alimento.

Além de ter sido bastante desagradável, o tal educador foi contra todas as recomendações da OMS, UNICEF e Ministério da Saúde. Todos eles incentivam a amamentação exclusiva até os 6 meses e prolongada até os 2 ANOS OU MAIS. Aliás, hoje já se sabe que o desmame nos humanos deveria ser entre os 2,5 e 7 anos de idade. E isso é uma média, claro, porque cada caso é um caso e deve ser respeitado.

Se formos falar de valores nutricionais, então, vemos o quanto o moço está completamente desinformado:
“As crianças que mamam no peito após um ano de idade, no mínimo duas vezes ao dia, conseguem garantir pelo menos 40% das necessidades nutricionais diárias. Além disso, as mães continuam garantindo uma ótima produção de anticorpos para defender essa criança de doenças.” esclarece Sônia Salviano, coordenadora da Política Nacional de Aleitamento Materno do Ministério da Saúde. Escrevi uma reportagem muito bem repercutida para o Bebe.com onde falo sobre a amamentação prolongada, leia aqui.

O educador também mostrou possuir dons de vidência quando disse que sabe que as mães querem desmamar seus filhos. Não foi o que notamos ao vê-las incomodadas e uma delas chorando depois de sua abordagem desastrosa #fail

Vimos o efeito disso naquele pequeno confinamento. Não sabemos como foi para outras tantas mães que amamentam alegremente seus filhos e assistiram a aquele show de horrores. Perigoso, absurdo, um desserviço. Enquanto lutamos para conscientizar a sociedade sobre os benefícios da amamentação (inclusive prolongada), vem um educador em rede nacional para destruir tudo. Um crime, convenhamos.

Fico pensando se é esta a imagem que os patrocinadores querem vincular às suas marcas: tamanho desacordo com as orientações em saúde pública.

Não assisti, mas fiquei sabendo sobre uma nutricionista que participou deste reality indicando o consumo de açúcar refinado por estes bebês. Oi? Alguém ai leu a Cartilha do Ministério da Saúde sobre alimentação saudável para os primeiros anos de vida? Falta de critério total da produção do programinha, hein?

Mas quero abordar aqui um outro assunto, tão importante quanto a amamentação: a infantilização das MÃES. Aliás, o que esperar de um programa onde o um fantoche de papagaio dá dicas “incríveis” para as mulheres, né?

Aquelas mães foram obrigadas a ouvir as orientações a respeito de uma situação íntima e pessoal de um homem que não é, sequer, um especialista em aleitamento materno. Aliás, duvido que elas tenham manifestado a menor vontade de desmamarem seus filhos antes desse episódio.

Tratadas como alunas em uma sala de aula, como crianças que devem ouvir e obedecer, como pessoas frágeis e sem opção de escolha.

Se você acha isso um absurdo, saiba que é exatamente o que acontece na maioria dos casos quando, por exemplo, uma mãe entra na sala do pediatra e ouve:
>> mãezinha, você tem que
desmamar seu filho
deixá-lo dormindo no berço sozinho
dar a ele todas as vacinas
dar uma vitamina porque ele está meio abaixo da média da curva de crescimento
entrar com complemento porque seu leite é fraco

Ou quando a gestante entra no consultório obstétrico e ouve:
>> mãezinha, você tem que
cuidar do enxoval que do parto cuido eu
vamos falar do parto só no final da gravidez
puxa, como você tem a bacia estreita
você não quer que seu bebê entre em sofrimento, né?
você sabe que o parto normal acaba com sua área de lazer?

Mãezinha não, nunca, jamais! Somos mães dos nossos filhos e qualquer outra pessoa deve nos chamar por nossos nomes, respeitando nossa individualidade.

Chega de infantilizar as mulheres na tentativa de que elas tenham apenas atitudes passivas.

O papel de qualquer profissional é compartilhar informação de qualidade, baseada em evidências. Chega de achismos, chega de privilegiar a conveniência do profissional em detrimento dos direitos de suas pacientes.

Cabe a nós, tomarmos as decisões, não aos profissionais. E a nossa maior arma contra esse tipo de abuso é a informação!

Esta semana escrevi uma matéria para o www.bebe.com.br sobre livros bacanas para pais de primeira viagem.
É uma lista com 15 livros, muitos dos quais já li, e aqueles que ainda não li, pesquisei profundamente para saber se condiziam com aquilo que acredito serem práticas conscientes de maternagem.

Vale a pena dar uma conferida lá:

 


Já faz algum tempo que não posto por aqui. E a razão de tudo isso é que nossa vida anda bastante corrida. Além disso, dentro das escolhas que fiz para nós, está o fato de que prefiro investir o tempo em que a Gabi está acordada em atividades com ela. E aí, o tempo para a internet fica meio escasso mesmo. Escolhas… O tempo todo temos que fazê-las… E escolher por uma opção implica em abrir mão de outra, normal, claro.

E esta paradinha em pleno início de madrugada é justamente para falar sobre elas, escolhas.
Como a maioria de vocês sabe, tomei decisões que fugiam do senso comum quando o assunto era Gabriela. Muitas delas ainda me rendem boas discussões por aí. Não sou do tipo que bate boca, mas acho importante compartilhar minhas ideias do bem para, quem sabe, ajudar outras mamães pelo mundo afora. Caras feias, narizes tortos e comentários desnecessários à parte, tenho me saído bem no quesito levar minhas escolhas adiante. Ter um marido que me apoia é fundamental e uma benção de Deus. Mas tem horas que o questionamento alheio meio que incomoda, sabe? Sou de carne e osso, afinal de contas.

Essa semana levei a Gabi ao pediatra. Nosso querido e humanizado Dr. Douglas.
Disse, como sempre, que minha princesa está ótima, saúde e desenvolvimento perfeitos! Mas disse mais.
Falou que o fato dela nunca ter precisado tomar antibiótico ou outra mediação qualquer se deve à amamentação prolongada. Disse que a opção que fiz por deixar o trabalho fora para estar ao lado dela nesses primeiros anos de vida trará resultados valiosos demais. Que a alimentação dela é nível “premium”, um exemplo. E que fica muito feliz em encontrar crianças com mães com este tipo de comprometimento.

Sabe, isso não serve para desvalorizar mães que não puderam optar pelas mesmas escolhas que fiz. Mas foi um elogio muito importante para o meu coração de mãe. Estamos sempre na neura de estarmos fazendo o melhor ou não para os nossos pequenos e saber que estou percorrendo um caminho de benção é muito bom.

Ok, ele é apenas um pediatra, eles servem apenas para nos orientar. Mas a palavra de Deus diz que a Sua paz é o árbitro do nosso coração. O meu está bem em paz com as minhas escolhas. Creio, então, que são escolhas do meu Deus.

Beijos e Deus os abençoe
Lelê

Minha pequena sempre experimentou de tudo aqui em casa. De tudo o que é bom e saudável, CLARO.
Ela come arroz integral, grão de bico, lentilha, peixes, carnes, berinjela, abobrinha, ovo, frutas (todas), beterraba, verduras… Nunca foi de comer muito, até porque ainda tem o seu tetê de plantão, mas sempre comeu de tudo.
Semana passada ela foi conosco em um restaurante japonês ela segunda vez. Comeu tempurá, arroz do temaki, salmão assado. E tudo no palitinho… uma moça muito requintada… rs
O pediatra dela não tem frescuras com comidinhas do bem, e já liberou peixe cru há muito tempo. Então, da próxima vez, vou iniciá-la nas comidinhas mais tradicionais do restaurante.

Beijos,

Toda serelepe com os palitinhos

Hum.... bom....

O cardápio da festa ficou assim:

>> Carne louca – feita pela vovó Sonia, com opções de mini-pãzinho com queijo parmesão, gergelim e puro
>> Salgadinhos – (queria fugir deles mas não deu, o Rô é fã deles – e é verdade que esses que a gente encomenda com uma senhorinha do bairro são demais!) esfiha, coxinha e risole de catupiry
>> Palitinhos de cenoura e pepino – esses não conseguimos preparar antes e tivemos que cortar na hora, uma correria
>> Sanduiches de patê de atum

>> Docinhos: brigadeiro, beijinho, cajuzinho (esses da Lilian), bicho de pé de colher, brigadeiro branco com uva (esses da tia Eliana) e balas de coco
>> Bolos: brigadeiro e cupcake natureba (tia Eliana)

Para as crianças:
>> Pão de queijo
>> Suco de melancia
>> Potinhos com mamão e banana picadinhos (a correria tb deixou essa parte complicada)

Contratei duas moças que coordenavam a cozinha serviam as comidinhas. Isso foi tudo de bom nessa vida!
Bjs

Nayara e Gabriela: sempre juntinhas!

Os cupcakes deixaram a mesa ainda mais linda!

Atendendo a pedidos, darei a receita do cupcake cake natureba que fiz para o niver da Gabi. Existem várias receitas possíveis.
Eu adaptei esta e ficou super gostosa.
Lembrando que não é porque possui ingredientes mais naturebas que este bolinho está liberado para as crianças. Trata-se de um doce, tem açúcar, então, deve ser dado apenas em ocasiões especiais, com moderação.

1 e 1/2 cenoura descascada e ralada
1 xícara de farinha de trigo integral
1/4 de xícara de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento em pó
1 xícara de açúcar mascavo
2 ovos de galinha (de preferência caipira)
100g de manteiga

Bata tudo no liquidificador. Pré-aqueça o forno.
Você pode usar forminhas de papel forneáveis ou aquelas de metal. De 2 a 3 colheradas da massa em cada forminha.
Esta receira costuma render uns 10 bolinhos.
Fique atenta porque eles assam muito rapidamente. No máximo 30 minutinhos.

Para a festa colocamos um poquinho de brigadeiro dentro de cada cupcake. Fiz um corte em formato de cone em cima, corte um pouco da tampinha que saiu, coloquei o brigadeiro e fechei. Minha tia decorou com chocolate derretido para fazer todos os frufruzinhos… Mas para o dia a dia é melhor não exagerar no doce, né?

Mesa da festa toda decorada com comidinhas!!!

 

Beijos!!!!